“Cê morreu? ²³²³²³²³”

Ainda não mas um dia vou, né?!

Na verdade, deu um tempo em tudo… até no blog. 

A vida está cada mais mais complicada e conforme o meu alemão ( o idioma) vai melhorando mas raiva e mimimi a gente tem. 

Sim, mimimi mesmo. Eu estou cheia deles. Não sei se a minha quota de “saco para aturar” já acabou ou a minha germanização é um sucesso. 

Na verdade, eu estou com uma crise de identidade. Não sou alemã mas já não me sinto muito ambientada com algumas coisas do Brasil. Tipo: Não quero ficar mas também não quero ir embora. 

Estou trabalhando em um projeto de uma empresa alemã mas com uma equipe de brasileiros. Eu sou assistente dos “cabeças” do projeto, todos alemães.

Estão eu fiquei como uma ponte entre as duas equipes. Beleza, só que não funciona!

O projeto se dividiu em dois grupos, métodos e formatos. E como faz para convencer os brasileiros a entregarem documentos no formato que a emprega quer? E como convencer os alemães que eles precisam ouvir um pouco mais os brasileiros e entender a forma de trabalho deles? N-Ã-O   F-U-N-C-I-O-N-A:

Até ai tudo bem. Que se lixem, que se matem. O problema é que não fui aceita em nenhum dos grupos. Sou um “agente infiltrado”. Além disto sou alvo de brincadeiras de péssimo gosto e como entendo os dois idiomas, me irrito muito mais.

Eu acho que esperei demais das pessoas. Como a empresa tem um nome beeeem conhecido, acreditei que iria aprender muito.

Aprender, eu até aprendi mas fico de queixo caido com a jardim de infancia que o nosso projeto se tornou. 

Alemães com piadinhas sobre os brasileiros (ligados a preguiça, mulher bonita, atraso, sexo, etc) e os brasileiros com as piadinhas sobre os alemães e outras brincadeiras sem sentido, que nem vale explicar (nem precisa já que somos brasileiros, né!)

O negócio chegou em um ponto que eu fiquei doente. Sério, fiquei mesmo. Passei dois dias com o meu rosto se movimentando sozinho, tipos espasmos sem controle junto com uma dor de cabeça insuportável. Na minha volta ao trabalho, que supresa:

– Alemães falando que brasileiro fica doente por qualquer coisas e faz tudo para faltar o trabalho;

-Brasileiros falando que eu estava doente em razão dos alemães que deixam a minha mesa cheia de trabalho. 

Legal, né?

Então tá, na semana que vem estou de férias, Sim, férias e muito merecidas. Ah! e no Brasil. Deve ser algo tipo “inferno ferial”, tipo perto de tirar férias a sua vida vira do avesso. 

O que me resta é contar os dias e se tudo der certo, volta a blogar😉

 

Alugando apto em Cannes

Da mesma série: Alugando apto em Paris. Decidimos passar alguns dias em Cannes (nas proximidades para ser precisa, já que sou pobre!)

Como a nossa experiencia com a AirBnB foi otima em Paris, nao pensamos duas vezes para procurar um cafofo para chamar de nosso por alguns dias.

Ficar em um hotel tem suas vantagens mas eu gosto do sentimento de casa.

Quem nunca sonhou morar em Paris ou NYC? Mesmo que por poucos dias, eu adoro a experiencia de morar no local que estamos turistando.

No outro alguel (Paris) ainda haviam poucos usuários no site e tinha uma pegada mais “facebook”, era uma comunidade de viajantes.

Agora o negócio está mais comercial e alguns hoteis e Bed and Breakfast colocaram anuncios também. Acho isso uma merda.

Gosto da pessoalidade envolvida no processo e por esta razao, alugo no AirBnb. Se é para ser impessoal, que seja em um hotel.

Filtrando um tiquinho, é possível encontrar as raridades da pessoalidade. Normalmente estas raridades já possuem recomendaçoes e integram o seu profile com redes sociais (já falei que amo pessoalidade?)

Entre os destinos possíveis, selecionamos alguns que valem a pena uma visita (virtual ou pessoal) mas atentem a alguns detalhes importantes.

B&B em Grasse https://www.airbnb.de/rooms/208402

Um xodó mas é B&B e isto significa compartilhar. Eu nao tenho problemas com isto mas o marido tem!

ARMADILHA: O local é 10. A comunicaçao com o host foi ótima até perguntarmos qual seria o quarto e se há banheiro privativo. Nunca recebemos resposta e portanto, nao reservamos.

Joli Studio em Cannes https://www.airbnb.de/rooms/404063

O local parecia perfeito mas a comunicaçao foi complicada. Muita coisa que está descrita no apartamento nao condiz com a verdade.

ARMADILHA: Diz que tem lavaroupas mas na verdade há várias lavadoras no sotao e tem que inserir moedas para utilizar.

French Riviera flat https://www.airbnb.de/rooms/485657

Finalmente o escolhido!

Nao tinha muito potencial, na verdade nem sei o porquê de tentar este flat mas a comunicaçao foi perfeita. Todas as dúvidas foram esclarecidas de forma rápida e clara.

Preço bem amigo e fica a 15 minutos de Cannes.

Nao se deixe enganar por boas fotos e “chiqueza”. De valor a pessoalidade, ao esclarecimento e  o comprometimento do seu host. Os dois anuncios acima sao legais também mas já estao praticando a política do esperto.

Nossa experiencia foi tao positiva que estamos alugando o nosso durante a nossa temporada em Cannes e acho que super valeu a pena. Pagamos as nossas férias e ainda sobra para a próxima.

Claro que nem tudo sao flores e que rola perrengue. Basta “googlar” sobre o AirBnb e você vai achar. Tudo que lí de negativo era muito mais sobre personalidades, diferenças culturais e coisas que poderiam ser esclarecidas.

No desespero de ganhar um dindin alguns host mentem ou omitem e no desepero de viajar alguns guests aceitam ou mentem para si mesmos.

– Se o seu host nao responde, esqueça! Ele é um idiota!

-Pergunte sobre todos os itens que sao importantes para você ( qualquer coisa, secador de cabelo, panela).

-Pergunte sobre o compartilhamento de espaço ( tipo: é tudo seu mesmo?)além disso, atente aos horários de entrada e saída.  Se diz que tem algo, este algo tem que estar no foto.

Procure a armadilha e tenha em mente que todo lugar tem positivos e negativos. Se você já sabe o que te espera, a experiencia sempre será positiva.

Vai ficar na moleza?

Quem leu o post anterior sabe que estou sem emprego.

Pedi demissao em razao do ambiente “zúúúúper” saudável. Claro que se o meu trabalho fosse em uma multinacional, eu pensaria 100 vezes. Como nao era, eu pensei 10!😉

Eu nunca me imaginei trabalhando anos nesta empresa. Era um trabalho para pagar as contas e ponto!

Este emprego me permitiu gastar mais, viver mais, falar mais alemao e de quebra fiz algumas amizades (e inimizades também). Independente da minha colega “monstra”, eu nao sentia que isto era uma carrera. Era um trabalho e tao somente.

10 noites mal dormidas e muitas unhas ruidas foram necessárias para que eu tomasse uma decisao: Voltar a estudar!

“Ce tá Ma+louca Cindi?” Tô nao!

Eu sou formada em direito, que nao tem utilidade na Alemanha. Reconhecer o diploma me daria no máximo o Abitur (que nao é o suficiente para ir para a uni). A unica coisa interessante do curso de direito é que sempre serve para algo. Vai dizer que nao é bom ter alguém com um “tiquinho” de conhecimento jurídico?

Lí algumas coisas na net, sites de consultores e headhunters e bingo! Achei o que eu precisava.

Em uma reportagem sobre mudança de carreira, lí que nao necessariamente é preciso fazer outro curso superior para mudar a sua “área”. Os cursos de direito, administraçao, marketing e psicologia se cruzam diversas vezes e, por esta razao, fazer um segundo curso superior (no meu caso administraçao) é um tanto quanto perda de tempo.

Claro que estudar nao é perda de tempo. O problema é ficar mais 4 anos na uni. Resolvi fazer uma pós graduaçao em logística na Unisul – Universidade do Sul de Santa Catarina – que oferece cursos para quem mora na Alemanha e outros países da europa. Quer conhecer? 

Se vai me ajudar, nao sei mas ficar vendo a vida passar sem fazer bosta nenhuma, certamente nao é a soluçao.

Já finalizei a primeira matéria e acho que foi relativamente proveitoso.

Sempre gostei da área de importaçao/exportaçao, fui ótima aluna em direito tributário e tem uma pegada internacional, o que muito me interessa. Como já disse, nao sei se vai adiantar mas também nao vai me matar.

E o melhor….já consegui um “Praktikum”! Claro que nao é coisa de outro mundo conseguir um (já que o salário é modesto). A empresa em que consegui sempre esteve nos meus sonhos e sei que vai agregar muito ao meu curriculum.

Pô Cindi, tu tinha um trabalho e um salário decente. Agora vai ganhar mixaria e fazer café?

Escutei a pergunta acima da minha irma e só nao matei ela pq nao dá para esfaquear alguém pelo PC

Vou fazer café se necessário sim.

Uma casa nao se começa pelo teto e sim pela base. Se estou certa? Nao sei, só sei que parado nao dá para ficar.

Bjobjo

Mopping

Nao, eu nao estou falando de Mop, aquele de limpar o chao.

Na Alemanha mopping é o tal de Bullyng.

Quem foi magrinha e vestia duas calças na escola para dar um” volume” sabe o que eu estou falando, né!?

Então, eu pensava que isto era algo de criança ou adolescente. Errei feio! Entrei em um joguinho manipulado por colegas de trabalho e hoje, posso afirmar com toda certeza que fui vítima de mopping.

Eu trabalho desde que cheguei na Alemanha. Fui babá, empacotei Dirndl até conseguir um emprego full time. Imagine a felicitade da pessoa! Apenas 5 meses na Alemanha e conseguir um emprego “fixo” com salário decente e ambiente de trabalho interessante!

Toca ai !

Tudo estava perfeito ….até que o meu sonho virou pesadelo.

A colega mais antiga na empresa “achou” que a minha estrelinha brilhava demais e passou a exigir que eu faça horas-extras, atividades que são responsabilidades dela e ainda me queimava o tempo todo (Ela não é minha chefe!)

Neste trabalho, eu deveria cuidar dos clientes internacionais da empresa e num pulo, passei a cuidar nos clientes da Alemanha. Enquanto eu morria para ter uma conversa digna com o cliente no telefone, ela ria, fumava e reafirmava ao chefe a minha incompetência.

Embora expressamente proibido, ela fumava dentro do local de trabalho e eu como boa alérgica, chegava em casa fedendo e espirrando.

O meu chefe é uma ótima pessoa mas não nasceu para ser chefe. Ele gosta de bancar o bonzinho e quando o negócio “fede” ele pede para a colega monstra resolver. Aquela coisa, ganhou um pequeno poder e já tá achando que é Napoleão Bonaparte (para não dizer outra figura histórica).

Escutei de tudo. Desde que tenho que trabalhar mais por que sou estrangeira até que eu tinha olheiras horríveis e que tinha que parar de fazer festa! (Eu fui em balada 2 vezes desde que vivo aqui).

Passei a ter dores de cabeça diárias, um barulho enlouquecedor no ouvido que já me acompanha a 3 meses, dores nos braços, 3 quilos a mais, dores de estômago, entre outras coisas. O interessante é que nenhum médico acha uma razão para isto.

Acho que passei a “sintomatizar” a minha dor psicológica e tomei uma decisão difícil. Me demiti!

Passei alguns dias filosofando se pedir demissão demonstra fraqueza e hoje, estou quase certa que não.

Fraqueza é permitir que alguém pise, passe por cima e de ré em você. Quero começar novamente, dar um tempo e relaxar.
O sumiço do blog foi por que eu estava esgotada mentalmente e ainda me sinto vazia, acho que vai demorar um tempo para curar.

Entreguei a minha demissão direto para a monstra e disse ” Parabéns, você conseguiu”. Ela nao quis aceitar e disse que não era a chefe. Foi ai que o bixo pegou. “Cuspi” tudo de forma educada e recebi como resposta um choro de criança mimada, ainda tive que ouvir que EU é que não gosto dela.(Porra! Eu não sou mais babá).

Sai de cabeça erguida e ciente que fiz isto por mim, pelo meu relacionamento e até mesmo para minha vida profissional.

Agora estou curtindo uma férias, me cuidando, tomanda meus remédios e tentanto virar a página. Muita coisas boas já aconteceram deste que sai da empresa mas ai já assunto para um novo post, este já está longo demais!

Cuidem-se, protenjam-se e nao duvidem da sua voz interior. Eu nao acreditei na minha e sofri tentando provar o meu valor aqui. Esqueça! Você vale mais que tudo isso!

Bjokas

 

 

Quando pensam que eu morri…..

Eu venho aqui e digo: Nein! Estamos vivos, bem vivos e viventes😉

Eu passei por uma fase de pensamentos doidos e precisei de um tempo de reflexao, algo do tipo ” 7 anos no Tibet”.

Neste tempo eu refiz alguns planos, risquei outros, pensei no que eu quero ser e se estou mesmo no caminho para ser este alguém.

Re-pensei nas amizades que eu tenho/tinha no Brasil e no que elas me traziam. Confrontei algumas verdades que eu secretamente sabia existirem, mas escondia na intençao de virarem mentiras.

Desfiz amizades de anos que só existiram na minha cabeça. Falei coisas que dificilmente falaria no Brasil, pedi demissao de um emprego que me sufocava, decidir parar um pouco o meu relógio e parei de fazer mil e um planos.

Loca, nao?

Nem tanto. Afinal:

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.

Eclesiastes 3. 1 – 8

Nos proximos posts eu explico cada uma das situações acima “arroladas”.

Passei aqui só pra dizer: Estou viva e certamente, mais viva que antes.❤

Bjoka

Vida fácil

Calma! Não troquei de profissão.

Quanto mais vivo na Alemanha mais acho que a vida no Brasil é uma Diliçaaaa. Muita gente reclama mas no fim das contas, ser brasileiro tem muita vantagens e facilidades que nem imaginamos. Vem comigo!

Você nasce no Brasil e é brasileiro. PONTO!

Pois é, mas na Alemanha o ” negócio” é diferente.

Tenho uma colega de trabalho do Kosovo. Aquela região central dos Balcãs que era território sérvio mas de maioria albanesa. Recentemente declarou a sua independência (pela segunda vez) e foi reconhecida como nação por um número razoável de países.

Tipo: neste lugar!!

Os pais desta minha colega nasceram no Kosovo e são de origem albanesa. A família é composta por pai, mãe, 4 irmãs e um irmão. Na época, o brilhante pai da minha colega decidiu registrar as filhas como sérvias, achando que o futuro delas iria ser bem melhor do que os kosovares (sei lá se é assim).

Então tá, Família albanesa, nascida no Kosovo, com nacionalidade sérvia.

Não estou recriminado. Só que é confuso né?!

Agora sente o momento. ……

Eles decidiram deixar o Kosovo e vivver na Alemanha. O negócio tava feio por lá. Muita fome e os atritos entre albaneses, sérvios e vizinhos e ainda a queda da Iugoslávia que se aproximava = Alemanha. 

Vieram todos. Foram recebidos muito bem, trabalharam e “refizeram” a vida aqui. Lindo, né?

Só que agora, estes imigrantes já não são tão bem aceitos e a vida está ficando complicada para eles.

Os pais da minha colega já tentaram de tudo para conseguir a nacionalidade alemã. O pedido foi negado sumariamente. A minha colega está no caminho para conseguir mas sempre tem um ” probleminha” (ou Mimimi para as expatriadas). Quase no final do processo, surge um Mimizão: Ela tem que abdicar da cidadania sérvia para ser alemã.

 Como faz????

Você não fala sérvio, tem que ir na embaixada da sérvia, dizer que é Kosovar, dizer o seu sobrenome zúúúúúper albanês dentro da embaixada e tentar se desfazer da bela tentativa do papis dela. Cumé, cumé, cumé?

I’m not! Lá foi ela, “armada” com mais 3 irmãs, só para garantir a integridade fisica e moral, né?!

Chegando lá, foi informada gentilmente que estes registros de kosovares sao inválidos e que a Sérvia não faz nada pelo Kosovares, uma vez que este país não existe! #creindeuspai

A Sérvia resolveu fechar todas as suas embaixadas nos países que reconheceram o Kosovo como nação. Na Alemanha ainda funciona por que existe uma “pá” de sérvios aqui.

Como final de atendimento, a colega teve que ouvir que a Servia fará uma revisão destas “nacionalidades” (sérvias/kosovares) e provavelmente ela será apátrida! Como assim meu povo?

Lá vai ela ao Kosovo para tentar ter a cidadania Kosovar. Chegar ao Kosovo (milhões de horas em um busão na poeira), nada F U N C I O N A: Na verdade eles não possuem uma verdadeira autonomia operacional e são tantos “causos” estranhos, como o da minha colega, que não há uma forma de resolver.

Além desta linda perspectiva, ter uma cidadania kosovar não resolverá muito a situação da coleguinha. A Alemanha quer “devolver” para o Kosovo, os que aqui chegaram durante o conflito étnico.

Ter cidadania Kosovar vai carimbar a testa da minha colega, entende? REFUGIADA!

Agora vem comigo, pega na minha mão, se ajoelha e agradece por ser Brasileira! Não acho que ser dos balcãns é horrível mas sim, complicado!

A minha colega resolver aceitar a minha sugestão e procurou uma associação que visa defender os direitos humanos. Afinal, nada mais básico que ter uma cidadania e ter um processo claro e justo, né?

Oremos!!

E agora? Ser brasileira é um must, né? Até duas nacionalidade podemo ter!

Bjobjo da Cindi

Alugando apto em Paris – Parte II

Demorei um tiquinho para fazer este post. Como envolve fotos e muito blá blá, queria fazer com calma.

Vamos lá!

Alugamos o apto pela Airbnb.  Custou € 60 por noite para 2 pessoas😉.

Além dos custos de hospedagem, o site faz uma “reserva” no seu cartão, na verdade uma indisponibilidade de valor para a caução. O valor da caução é estipulado pelo dono do imóvel. A caução (reserva) é liberada quando o dono do imóvel avisa que o imóvel foi encontrado em boas condições ou apenas se mantém em silêncio após 24 horas do final da reserva.

Maud, a dona do imóvel, trabalha em uma agência de publicidade em Paris mas vai seguidamente visitar os pais no interior da França. Em razão do feriado prolongado, ela decidiu alugar o apto. Como Maud estaria fora da cidade, a entrega das chaves foi feita por uma amiga da Maud que possui um apto nas proximidades.

Chegamos em paris as 22:30, tomamos o Roissy bus (€ 10,00 por cabeça). Chegando a estação de metro Opera, tomamos a linha 9. Eu sempre tenho um medo dos metros de Paris, não me pergunte o porquê.

Encontramos a amiga da Maud, tomamos a chave e caminhamos 2 quadras até o apto. O prédio é antigo e as são escadas vertiginosas e gastas. Subir até o sexto andar com malas não é uma experiencia agradável. Gastamos, provavelmente, meia hora para abrir a porta. A porta é antiga, cheia de fechaduras mais antigas ainda e o chaveiro da menina tinha umas 20 chaves. Foi na base da tentativa e erro!

Quando finalmente foi possível abrir a porta da esperança, sentimos um misto de satisfação e insatisfação. O apto é realmente como estava descrito mas claro, tem suas peculiaridades. Na foto o apto parece ser muito mais amplo. O apto é bem pequeno mas uma graça. Em dois dias a insatisfação foi embora e o apto já era a nossa segunda casa!

A sala é bem pequena mas para um casal como nós, serve bem!

Fiz as fotos na manhã seguinte com o meu telefone já que a minha camera resolveu dar um piti. Desculpa aê a falta de qualidade. Fotografia é algo impossível para a minha capacidade fisica e mental.

Este sofá é bem ruim de sentar mas eu não viajei para sentar em sofá.

A cama é um tanto diferente mas confortável e muito limpa. Tenho sinusite e o meu nariz alerta rapidamente quando tá sujo ou limpo!

Adorei isto e já estou pensando onde eu poderia encontrar o material para fazer igual. Eu tenho uma coleção bacana de cartões turisticos. Vai faltar parede!

A cozinha é bem pequena mas decente.

Ao fim, Maud pediu que colocássemos as chaves na caixa de correspondência. Ela chegaria só na terça. Comprei um chocolate e deixei uma carta explicando como deixamos, o que usamos e a gradecendo a oportunidade de viver como Parisienses por alguns dias.

Na terça-feira ela já escreveu um comentário na minha página. Disse que fomos perfeitos e que o apto estava super limpo. Da mesma forma, escrevi que o apto é realmente o que está na descrição. Já recebemos o aviso do retorno da caução e aparentemente, tudo foi super tranquila.

Se eu vou fazer novamente? Sim, na europa e Américas ! Alguns lugares eu ainda não confio plenamente e acho arriscado ficar sem apto em alguma cidade exótica por ai.

Gastei € 260,00 na hospedagem e achei que foram bem pagos. Além disto, fiz minhas compras nos supermercados populares e comi nos restaurantes do bairro.

Aff! Acho que agora encerrei! Próximo destino? talvez Praga, já que é tão pertinho ou Veneza. Já tenho aptos em vista e os preços continuam ótimos.

Um bjo e até a próxima!

Este slideshow necessita de JavaScript.