Mopping

Nao, eu nao estou falando de Mop, aquele de limpar o chao.

Na Alemanha mopping é o tal de Bullyng.

Quem foi magrinha e vestia duas calças na escola para dar um” volume” sabe o que eu estou falando, né!?

Então, eu pensava que isto era algo de criança ou adolescente. Errei feio! Entrei em um joguinho manipulado por colegas de trabalho e hoje, posso afirmar com toda certeza que fui vítima de mopping.

Eu trabalho desde que cheguei na Alemanha. Fui babá, empacotei Dirndl até conseguir um emprego full time. Imagine a felicitade da pessoa! Apenas 5 meses na Alemanha e conseguir um emprego “fixo” com salário decente e ambiente de trabalho interessante!

Toca ai !

Tudo estava perfeito ….até que o meu sonho virou pesadelo.

A colega mais antiga na empresa “achou” que a minha estrelinha brilhava demais e passou a exigir que eu faça horas-extras, atividades que são responsabilidades dela e ainda me queimava o tempo todo (Ela não é minha chefe!)

Neste trabalho, eu deveria cuidar dos clientes internacionais da empresa e num pulo, passei a cuidar nos clientes da Alemanha. Enquanto eu morria para ter uma conversa digna com o cliente no telefone, ela ria, fumava e reafirmava ao chefe a minha incompetência.

Embora expressamente proibido, ela fumava dentro do local de trabalho e eu como boa alérgica, chegava em casa fedendo e espirrando.

O meu chefe é uma ótima pessoa mas não nasceu para ser chefe. Ele gosta de bancar o bonzinho e quando o negócio “fede” ele pede para a colega monstra resolver. Aquela coisa, ganhou um pequeno poder e já tá achando que é Napoleão Bonaparte (para não dizer outra figura histórica).

Escutei de tudo. Desde que tenho que trabalhar mais por que sou estrangeira até que eu tinha olheiras horríveis e que tinha que parar de fazer festa! (Eu fui em balada 2 vezes desde que vivo aqui).

Passei a ter dores de cabeça diárias, um barulho enlouquecedor no ouvido que já me acompanha a 3 meses, dores nos braços, 3 quilos a mais, dores de estômago, entre outras coisas. O interessante é que nenhum médico acha uma razão para isto.

Acho que passei a “sintomatizar” a minha dor psicológica e tomei uma decisão difícil. Me demiti!

Passei alguns dias filosofando se pedir demissão demonstra fraqueza e hoje, estou quase certa que não.

Fraqueza é permitir que alguém pise, passe por cima e de ré em você. Quero começar novamente, dar um tempo e relaxar.
O sumiço do blog foi por que eu estava esgotada mentalmente e ainda me sinto vazia, acho que vai demorar um tempo para curar.

Entreguei a minha demissão direto para a monstra e disse ” Parabéns, você conseguiu”. Ela nao quis aceitar e disse que não era a chefe. Foi ai que o bixo pegou. “Cuspi” tudo de forma educada e recebi como resposta um choro de criança mimada, ainda tive que ouvir que EU é que não gosto dela.(Porra! Eu não sou mais babá).

Sai de cabeça erguida e ciente que fiz isto por mim, pelo meu relacionamento e até mesmo para minha vida profissional.

Agora estou curtindo uma férias, me cuidando, tomanda meus remédios e tentanto virar a página. Muita coisas boas já aconteceram deste que sai da empresa mas ai já assunto para um novo post, este já está longo demais!

Cuidem-se, protenjam-se e nao duvidem da sua voz interior. Eu nao acreditei na minha e sofri tentando provar o meu valor aqui. Esqueça! Você vale mais que tudo isso!

Bjokas

 

 

Cê morreu?

 Tô bem viva. Nao tão viva. Tipo morta-viva, entendeu?

Ando cansada demais. Um cansaço horrendo. Já fui no médico e fiz exame de tudo e… nada. Quer dizer… o médico olhou para minha cara e pensou ” Baita vadia”.

O povo fala que o tal do cansaço da primavera (?) que no meu caso deve ser grave, já que começou no inverno. Além disto tudo, o meu trabalho tá puxado, o trabalho do marido tá puxado, a casa tá um caos ….usw infinito.

Para ajudar ainda mais, estou frequentando o curso do Inlingua – 2x por semana- com um professor que nao usa desodorante e nao assiste televisão #DRAMA.

Procurando no santo google, achei o termo “cansaço da primavera” e sei que não estou sozinha no mundo – Eu sou normal tá! Será que eu consigo um atestado médico até o verão?

Man nem tudo está perdido no mundo de meudeuzo! Tivemos um ataque de loucura furiosa e compramos 2 passagens para Paris! Vamos na pascoa e ficamos por lá 4 dias, aproveitando os feriadinhos.

Claro que a sensação foi ótima.. mas depois de 5 minutos, o marido já estava perguntando se eu já tinha visto hotel, mala, roupa, tickets … Mais neura!

Espero que este cansaço se vá sem dizer good bye!

bjobjo

O primeiro luxo a gente nunca esquece..

Eu me dei algo bom…

 

Afinal tô trabalhando um monte e agora que o marido tá trabalhando, já posso contar com as riquezas dele ( que sao poucos mas também são minhas, 50% baby!)

Eu decidi que queria ser gente! Trabalho em uma empresa de tecnologia que faz de um tudo mas sempre ligado com tecnologia. Dai, que a pessoa ai ainda nao comprou um telefone celular “múderno” o chefe pede para ver o meu telefone…

Ele queria só ser simpático e mostrar o novo App que a nossa empresa bolou e ai eu fui obriga a dizer que espatifei meu celular no chão esta semana e ainda estava procurando outro AFF! Sai bem né?!

Ai todo mundo na empresa falando do tal app e toda hora alguém fala do novo celular e tals e au ali com um nokia valente que enfrentou anos de tombos e que possívelmente a coisa mais moderna que ele faz é trocar a musiquinha 🙂

Esta semana comprei um bendito telefone modernoso. Longe do Iphone porque eu sou pobre bem e o preco do Iphone é injusto ( na minha rídicula opinião)

Comprei um nokia bem bacaninha, cheio de surpresinhas boas e com preco súúúper justo.

Primeiro me senti culpada, depois falida, depois viciada e agora normal ( Se isso é possível)

Adorei a sensaçao de mimo, luxo, presente. Acho que devo fazer mais. Comprar o que gosto e porque mereço.

O mais legal de tudo isso é que o app da minha empresa ainda nao tá disponível para nokia (burra eu né?!) mas já posso mostrar por ai ou pelo menos tirar do bolso.

bjobjo da cibernética cinderela!

 

 

 

 

 

E quando a gente menos espera…..

Algo acontence!

Bom… eu já falei que o “Barido” estava sem emprego. Não quis fazer um post sobre isso porque já escutei muita m&$§# por ai por causa disto.

Mas o fato é que o marido saiu do emprego meia boca dele. Já não dava mais: Salário xexelento e ambiente de trabalho “marrumeno”.

Minha família sempre deu um valor “anormal” ao trabalho e ter que escutar as ladainhas normais e criativas da minha família não estava nos meus planos.

Segue algumas afirmações bacanas:

– Você casou com um gringo para dividir as contas?

– Você casou com um alemão e agora ele tá sem emprego? mentira, ele deve ter $ escondido.

– Nem te preocupa, ele é alemão e essa gente é sempre rica!

Ele ficou 3 meses na luta por um emprego e até se candidatou para empregos abaixo da qualificação dele. Neste diapasão (adoro essa palavra) pensamos também no Brasil. Ele fez alguns currículos para empregos no Brasil, tanto em firmas alemãs quanto firmas do Brasil.

Quanto minha excelentíssima sogra soube da “curriculagem” para empregos no Brasil, ela surtou e mandou um email gentil, florido e carinhoso, nos chamando de megalomaníacos.

Com este cenário lindo e maravilho que vós descrevo,  decidimos fazer tudo na camufla e deixar de comentar com a “nossa” familia sobre como andavas a procura dele por empregos.

Nota da cindi: Eu sou chegada em um segredo. Não gosto de contar as coisas que faço antes de fazer, entende? Sou do sul mas com espírito mineiro!

Sempre achei que esta plena sinceridade do marido com os pais não era legal. Acho que os pais não precisam saber de tuuuudo apenas o necessário. Claro que somos muito amados por eles mas muita vezes “criamos inimigos” dentro de casa por nada, apenas por uma idéia ou afirmação. Ele apenas teve a idéia de tentar um trabalho no Brasil que é o país que ele mais gosta, tem um visto permanente e que esta crescendo a passos largos. Qual é o problema?

Minha sogra é um tipica mãe italiana, embora seja alemã. Quer saber tudo e tem opinião para tudo ( assim como eu) mas opinião a gente escuta, analisa e extrai o melhor. No caso do marido, ele seguia cego nem pensava muito. Isso era a trevaaaaaaa!

Muitas vezes o marido mostrava algumas ofertas de trabalho para os sogros e eles sempre tinhama  mesma resposta: O cargo é muito alto para você! 

Cumé?! Eu gritava, chorava e esperniava. Quem são eles para dizer não? Em uma destas minhas esperniações, ele decidiu “sich bewerben” para 3 cargos altos e em todos foi chamado para uma entrevista por telefone , em 2 foi chamado para uma entrevista presencial e um deu o emprego para ele !!!!

Uma breve interrupção da programação:

Se alguém tiver que dizer não que seja a empresa e não gente desocupada por ai que gosta de dar “pitaco” na vida dos outros.

Este emprego, de longe, é o melhor emprego que o marido já teve e agora podemos dizer que eles esta fazendo uma “carreira”.

Não é que eu não goste da minha sogra, longe disto! Não gosto dessa gente negativa que adora apontar o problema, a dificuldade, o porém das coisas. Uma coisa é alertar outra é “urubuzar” .

Acho que o meu download da vida deu uma melhorada de 30% … ainda não tá completo e ainda tem “bugs” por todo lado. Se pensar grande, querer o melhor e sempre tentar ir além dos limites é ser megalomaníaco… então eu sou

MEGALOMANÍACA

 

 

 

 

 

 

 

Ensaboa Mulata

Aff! to trabalhando demais da conta! Muita coisa para postar, muita coisa para falar mas pouco tempo para escrever!

Tenho dor de cabeça todos os dias e minha alimentaçao tá toda bagunçada. Agora, fecharemos para férias coletivas e eu passei este mes inteiro de olho no calendário esperando o dia 21….

Rááááááá, pegadinha do Malandro!!

Inventaram um Workshop para eu ir amanhã. O workshop vai ser legal mas senti que me “atiraram”, já que ninguém quer ir.

Amanhã os meus colegas ainda vao no escritório, para tomar um café todos juntos e se abraçarem. Eu? eu estarei em uma sala discutindo como melhorar o posicionamento da empresa na internet. Nada a ver comigo!!

Vou aproveitar para conhecer algo novo e adquirir um conhecimento extra mas fiquei “fula” da vida por terem me jogado para fazer o workshop.

Acho que vai ficar chato para a empresa. Eu ainda não tenho cartão de visita, nem estou tão informada e por dentro do que ocorre na empresa.

Fazer oque? Eu vou ir né! Aproveito e pratico o Ingréééés!

bjobjo

Groupon

Desde que abri a minha conta bancária (privada, particular e lisa) eu estou com um problema sério. O tal do Groupon..

Coisa de louco isso. Quem mora em Munique sabe que é preciso vender o figado para ir num restaurante legal.

Normalmente comemos fora uma vez por semana e talvez, quem sabe, se eu fui uma boa menina, vamos num restaurante bem legal. Nao mais que uma vez por mês.

Só que ai… a pessoa descobre o Groupon.  So que ai… a pessoa começa a trabalhar. So que ai… a pessoa abre uma conta bancária…e BOOOM!

Eu já comprei 100 pilhas por € 19,90.

Curso de inglês na Englishtown por € 19,90.

Curso de línguas por €89,90. Galocha por €25,90 e não para por ai…

O marido tá entrando na onda também e o troço tá ficando doido.

O presente na cunhada, da sogra, do sogro vai vir tudo do Groupon(talvez até o meu!)

Alguém ta com o mesmo problema? quer montar uma fundação? quer fazer um ritual celta/ xamanicode de quebra dos cartões de crédito e de débito na lua cheia ?

Chefe do mal….

Orgulho pode significar duas coisas, O tio wiki dá uma definição que, particularmente, gosto muito-

Orgulho é um sentimento de satisfação pela capacidade ou realização ou um sentimento elevado de dignidade pessoal. Em Português a palavra Orgulho pode ser vista tanto como uma atitude positiva como negativa dependendo das circunstâncias. Assim, o termo “pode” ser empregado de maneira errada tanto como sinônimo de soberba e arrogância quanto para indicar dignidade ou brio.

 

Estou sim muito orgulhosa da minha conquista mas ao mesmo tempo, muito ansiosa por que novos desafios se aproximam e a vontade de fazer, e fazer bem feito é muito grande.

Estou com dificuldade de ” me fazer entendida pelos outros”. A sogra acha que deveríamos fazer um jantar. O sogro já calculou o quanto eu vou receber neto. Todos pensam que eu sou a nossa “Vice-presidente” da Siemens!

Claro que estou feliz e que estou rodopiando de alegria mas os desafios que se aproximam deixam-me paralisada de medo, ansiosa, desencorajada.

Um destes desafios é ser a chefe da italiana que estava na luta pela vaga. Quando meu chefe falou isto, foi como se um tijolo caísse na minha cabeça. Injusto comigo, injusto com ela. Quando falei que era injusto, toda a minha família (alemã) disse que eu estava errada, que eu era a chefe por que era a melhor! Será que eu estou errada e eles certos? Sei não!

Acho injusto ser a chefe de uma pessoa que fez de um tudo para ter a vaga também. Sei que a vida não é só flores e que nem todos têm a mesma oportunidade. Mas ser a chefe dela, ai já é demais.

Pedi ao chefe para que não use a palavra chefe mas sim, supervisora ou ponto de ajuda.

Na segunda-feira ele nos chamou na salinha e disse “chefe” umas 1000 vezes.

Fiquei mal instantaneamente.Não quero ser a chefe dela. Quero trabalhar com ela, aproveitar o que ela tem de melhor.

Ela não é minha inimiga. Competimos pela mesma vaga, agora acabou mas tudo e todos me jogam contra ela e como eu previ, ela pediu demissão.

Chequei em casa e chorei, chorei, chorei. Ninguém entende a minha dor. Ela saiu por puro orgulho (orgulho ruim). Eu não movi um dedo mas os que estão ao meu entorno criaram uma situação de rivalidade, subjugação.

Ontem pedi ao chefe para falar pessoalmente com ela antes de ela assinar o desligamento da empresa. Quero deixar claro que eu QUERO trabalhar com ela e que estou disposta a dar as condições necessária para isto.

A menina trabalha bem, não há motivo para demissão. Se ela que sair por que a empresa já não é mais interessante para ela, tudo bem. Sinto que o real motivo é que ela realmente acredita que a vida dela será um inferno comigo e tal alucinação foi criada pelas pessoas do meu trabalho. Frases do tipo:

– Cindi, agora você tem que escolher uma mesa só sua. Os aushilfes não deverão usar a sua mesa,

– Cindi, agora você terá de organizar quando cada aushilfe virá para o trabalho.

– Cindi, você tem que controlar o desempenho de cada um e ver quem são os rápidos e os lentos.

Essas frases poderiam ser ditas mas não na frente dos “aushilfes” (ainda sou uma). Pressão desnecessária.

Eu quero falar com a italiana e com o resto também. Quero deixar claro que o chefe é um só: É o que paga os nossos salários! Eles apenas reportam para a minha pessoa para facilitar as coisas.

Todos pensam que eu estou errada. Minha família acha que ela é uma idiota que que tem que sair. Eu não acho que a atitude dela foi legal. Acho que ela poderia tentar e depois, decidir. Nao gosto de interferir na vida de alguém sem ter dito uma única palavra.

Não quero o crachá de chefe, nem a mesa de chefe, nem o “status”. Quero trabalhar!!

E ai meninas acham que os orgulhos estão alterados? Acham que estou errada? É normail essa loucura alemã pelo “crachá” de chefe?  Um luz por favor!!!

bjobjo da Cindi