Vai ficar na moleza?

Quem leu o post anterior sabe que estou sem emprego.

Pedi demissao em razao do ambiente “zúúúúper” saudável. Claro que se o meu trabalho fosse em uma multinacional, eu pensaria 100 vezes. Como nao era, eu pensei 10! 😉

Eu nunca me imaginei trabalhando anos nesta empresa. Era um trabalho para pagar as contas e ponto!

Este emprego me permitiu gastar mais, viver mais, falar mais alemao e de quebra fiz algumas amizades (e inimizades também). Independente da minha colega “monstra”, eu nao sentia que isto era uma carrera. Era um trabalho e tao somente.

10 noites mal dormidas e muitas unhas ruidas foram necessárias para que eu tomasse uma decisao: Voltar a estudar!

“Ce tá Ma+louca Cindi?” Tô nao!

Eu sou formada em direito, que nao tem utilidade na Alemanha. Reconhecer o diploma me daria no máximo o Abitur (que nao é o suficiente para ir para a uni). A unica coisa interessante do curso de direito é que sempre serve para algo. Vai dizer que nao é bom ter alguém com um “tiquinho” de conhecimento jurídico?

Lí algumas coisas na net, sites de consultores e headhunters e bingo! Achei o que eu precisava.

Em uma reportagem sobre mudança de carreira, lí que nao necessariamente é preciso fazer outro curso superior para mudar a sua “área”. Os cursos de direito, administraçao, marketing e psicologia se cruzam diversas vezes e, por esta razao, fazer um segundo curso superior (no meu caso administraçao) é um tanto quanto perda de tempo.

Claro que estudar nao é perda de tempo. O problema é ficar mais 4 anos na uni. Resolvi fazer uma pós graduaçao em logística na Unisul – Universidade do Sul de Santa Catarina – que oferece cursos para quem mora na Alemanha e outros países da europa. Quer conhecer? 

Se vai me ajudar, nao sei mas ficar vendo a vida passar sem fazer bosta nenhuma, certamente nao é a soluçao.

Já finalizei a primeira matéria e acho que foi relativamente proveitoso.

Sempre gostei da área de importaçao/exportaçao, fui ótima aluna em direito tributário e tem uma pegada internacional, o que muito me interessa. Como já disse, nao sei se vai adiantar mas também nao vai me matar.

E o melhor….já consegui um “Praktikum”! Claro que nao é coisa de outro mundo conseguir um (já que o salário é modesto). A empresa em que consegui sempre esteve nos meus sonhos e sei que vai agregar muito ao meu curriculum.

Pô Cindi, tu tinha um trabalho e um salário decente. Agora vai ganhar mixaria e fazer café?

Escutei a pergunta acima da minha irma e só nao matei ela pq nao dá para esfaquear alguém pelo PC

Vou fazer café se necessário sim.

Uma casa nao se começa pelo teto e sim pela base. Se estou certa? Nao sei, só sei que parado nao dá para ficar.

Bjobjo

Anúncios

Vida fácil

Calma! Não troquei de profissão.

Quanto mais vivo na Alemanha mais acho que a vida no Brasil é uma Diliçaaaa. Muita gente reclama mas no fim das contas, ser brasileiro tem muita vantagens e facilidades que nem imaginamos. Vem comigo!

Você nasce no Brasil e é brasileiro. PONTO!

Pois é, mas na Alemanha o ” negócio” é diferente.

Tenho uma colega de trabalho do Kosovo. Aquela região central dos Balcãs que era território sérvio mas de maioria albanesa. Recentemente declarou a sua independência (pela segunda vez) e foi reconhecida como nação por um número razoável de países.

Tipo: neste lugar!!

Os pais desta minha colega nasceram no Kosovo e são de origem albanesa. A família é composta por pai, mãe, 4 irmãs e um irmão. Na época, o brilhante pai da minha colega decidiu registrar as filhas como sérvias, achando que o futuro delas iria ser bem melhor do que os kosovares (sei lá se é assim).

Então tá, Família albanesa, nascida no Kosovo, com nacionalidade sérvia.

Não estou recriminado. Só que é confuso né?!

Agora sente o momento. ……

Eles decidiram deixar o Kosovo e vivver na Alemanha. O negócio tava feio por lá. Muita fome e os atritos entre albaneses, sérvios e vizinhos e ainda a queda da Iugoslávia que se aproximava = Alemanha. 

Vieram todos. Foram recebidos muito bem, trabalharam e “refizeram” a vida aqui. Lindo, né?

Só que agora, estes imigrantes já não são tão bem aceitos e a vida está ficando complicada para eles.

Os pais da minha colega já tentaram de tudo para conseguir a nacionalidade alemã. O pedido foi negado sumariamente. A minha colega está no caminho para conseguir mas sempre tem um ” probleminha” (ou Mimimi para as expatriadas). Quase no final do processo, surge um Mimizão: Ela tem que abdicar da cidadania sérvia para ser alemã.

 Como faz????

Você não fala sérvio, tem que ir na embaixada da sérvia, dizer que é Kosovar, dizer o seu sobrenome zúúúúúper albanês dentro da embaixada e tentar se desfazer da bela tentativa do papis dela. Cumé, cumé, cumé?

I’m not! Lá foi ela, “armada” com mais 3 irmãs, só para garantir a integridade fisica e moral, né?!

Chegando lá, foi informada gentilmente que estes registros de kosovares sao inválidos e que a Sérvia não faz nada pelo Kosovares, uma vez que este país não existe! #creindeuspai

A Sérvia resolveu fechar todas as suas embaixadas nos países que reconheceram o Kosovo como nação. Na Alemanha ainda funciona por que existe uma “pá” de sérvios aqui.

Como final de atendimento, a colega teve que ouvir que a Servia fará uma revisão destas “nacionalidades” (sérvias/kosovares) e provavelmente ela será apátrida! Como assim meu povo?

Lá vai ela ao Kosovo para tentar ter a cidadania Kosovar. Chegar ao Kosovo (milhões de horas em um busão na poeira), nada F U N C I O N A: Na verdade eles não possuem uma verdadeira autonomia operacional e são tantos “causos” estranhos, como o da minha colega, que não há uma forma de resolver.

Além desta linda perspectiva, ter uma cidadania kosovar não resolverá muito a situação da coleguinha. A Alemanha quer “devolver” para o Kosovo, os que aqui chegaram durante o conflito étnico.

Ter cidadania Kosovar vai carimbar a testa da minha colega, entende? REFUGIADA!

Agora vem comigo, pega na minha mão, se ajoelha e agradece por ser Brasileira! Não acho que ser dos balcãns é horrível mas sim, complicado!

A minha colega resolver aceitar a minha sugestão e procurou uma associação que visa defender os direitos humanos. Afinal, nada mais básico que ter uma cidadania e ter um processo claro e justo, né?

Oremos!!

E agora? Ser brasileira é um must, né? Até duas nacionalidade podemo ter!

Bjobjo da Cindi

E quando a gente menos espera…..

Algo acontence!

Bom… eu já falei que o “Barido” estava sem emprego. Não quis fazer um post sobre isso porque já escutei muita m&$§# por ai por causa disto.

Mas o fato é que o marido saiu do emprego meia boca dele. Já não dava mais: Salário xexelento e ambiente de trabalho “marrumeno”.

Minha família sempre deu um valor “anormal” ao trabalho e ter que escutar as ladainhas normais e criativas da minha família não estava nos meus planos.

Segue algumas afirmações bacanas:

– Você casou com um gringo para dividir as contas?

– Você casou com um alemão e agora ele tá sem emprego? mentira, ele deve ter $ escondido.

– Nem te preocupa, ele é alemão e essa gente é sempre rica!

Ele ficou 3 meses na luta por um emprego e até se candidatou para empregos abaixo da qualificação dele. Neste diapasão (adoro essa palavra) pensamos também no Brasil. Ele fez alguns currículos para empregos no Brasil, tanto em firmas alemãs quanto firmas do Brasil.

Quanto minha excelentíssima sogra soube da “curriculagem” para empregos no Brasil, ela surtou e mandou um email gentil, florido e carinhoso, nos chamando de megalomaníacos.

Com este cenário lindo e maravilho que vós descrevo,  decidimos fazer tudo na camufla e deixar de comentar com a “nossa” familia sobre como andavas a procura dele por empregos.

Nota da cindi: Eu sou chegada em um segredo. Não gosto de contar as coisas que faço antes de fazer, entende? Sou do sul mas com espírito mineiro!

Sempre achei que esta plena sinceridade do marido com os pais não era legal. Acho que os pais não precisam saber de tuuuudo apenas o necessário. Claro que somos muito amados por eles mas muita vezes “criamos inimigos” dentro de casa por nada, apenas por uma idéia ou afirmação. Ele apenas teve a idéia de tentar um trabalho no Brasil que é o país que ele mais gosta, tem um visto permanente e que esta crescendo a passos largos. Qual é o problema?

Minha sogra é um tipica mãe italiana, embora seja alemã. Quer saber tudo e tem opinião para tudo ( assim como eu) mas opinião a gente escuta, analisa e extrai o melhor. No caso do marido, ele seguia cego nem pensava muito. Isso era a trevaaaaaaa!

Muitas vezes o marido mostrava algumas ofertas de trabalho para os sogros e eles sempre tinhama  mesma resposta: O cargo é muito alto para você! 

Cumé?! Eu gritava, chorava e esperniava. Quem são eles para dizer não? Em uma destas minhas esperniações, ele decidiu “sich bewerben” para 3 cargos altos e em todos foi chamado para uma entrevista por telefone , em 2 foi chamado para uma entrevista presencial e um deu o emprego para ele !!!!

Uma breve interrupção da programação:

Se alguém tiver que dizer não que seja a empresa e não gente desocupada por ai que gosta de dar “pitaco” na vida dos outros.

Este emprego, de longe, é o melhor emprego que o marido já teve e agora podemos dizer que eles esta fazendo uma “carreira”.

Não é que eu não goste da minha sogra, longe disto! Não gosto dessa gente negativa que adora apontar o problema, a dificuldade, o porém das coisas. Uma coisa é alertar outra é “urubuzar” .

Acho que o meu download da vida deu uma melhorada de 30% … ainda não tá completo e ainda tem “bugs” por todo lado. Se pensar grande, querer o melhor e sempre tentar ir além dos limites é ser megalomaníaco… então eu sou

MEGALOMANÍACA

 

 

 

 

 

 

 

Carregando…..

Sabe quando vcoê tem que abrir uma página ou um software e se depara com a mensagem:

Então, tô me sentindo assim!

To bem feliz com o meu emprego embora ainda não esteja confortável.

Quando digo confortável, me refiro ao fato de que tudo leva tempo para adaptar. Ainda nao tenho funções definidas e muita vezes nem sei o que devo ou não fazer na empresa.

De qualquer modo, estou empregada e isto já faz um diferença enorme!

O marido continua sem emprego. Não vejo isto ainda como um problema. 3 meses sem emprego na Alemanha é super normal, já que as entrevistas demoram séculos para acontecer, e mais meio século para receber o feedback da empresa.

Então … a minha vida tá ainda carregando…10%, 20%,30%…

Até o meu primeiro salário esta no modo “carregando”. Tive uns problemas com o Lohnsteuerkarte e por isso vou receber minha suada riqueza atrasada.

Quando é que vai começar a ficar bom, minha gente?! Quando é que eu vou me sentir confortável no meu trabalho, ter um dinheirinho para gastar, umas amigas para trovar…??

Parece que a vida é esse carregando para sempre.. Aff!! Não quero mais brincar disto não! quero os 100% .

Desculpa aê mas ando um “saco” de pessoa. Até por isto não tenho postado. Até pensei em suicidar o blog (loucura furiosa da pessoa).

E ai, já tiveram o momento “carregando” também? e o momento “loucura furiosa”??*

* loucura furiosa é um antigo o termo júrico para insanidade. Os “loucos furiosos” eram os que deveriam ir para instituições de “tratamento”.

Ensaboa Mulata

Aff! to trabalhando demais da conta! Muita coisa para postar, muita coisa para falar mas pouco tempo para escrever!

Tenho dor de cabeça todos os dias e minha alimentaçao tá toda bagunçada. Agora, fecharemos para férias coletivas e eu passei este mes inteiro de olho no calendário esperando o dia 21….

Rááááááá, pegadinha do Malandro!!

Inventaram um Workshop para eu ir amanhã. O workshop vai ser legal mas senti que me “atiraram”, já que ninguém quer ir.

Amanhã os meus colegas ainda vao no escritório, para tomar um café todos juntos e se abraçarem. Eu? eu estarei em uma sala discutindo como melhorar o posicionamento da empresa na internet. Nada a ver comigo!!

Vou aproveitar para conhecer algo novo e adquirir um conhecimento extra mas fiquei “fula” da vida por terem me jogado para fazer o workshop.

Acho que vai ficar chato para a empresa. Eu ainda não tenho cartão de visita, nem estou tão informada e por dentro do que ocorre na empresa.

Fazer oque? Eu vou ir né! Aproveito e pratico o Ingréééés!

bjobjo

Vergonha…

Que feio! Acho que fiquei por volta de 2 semanas sem atualizar…. FEIO!

Desculpa aê mas o meu trabalho tá me tirando o escalpo e ainda to aprimorando o conhecimento na língua inglesa , então tipo assim to súúúper morta!

Além do mais, eu tenho uma facilidade de inimizar de instante e agora eu tenho um colega chato no meu pé!

Estou trabalhando num projeto para o Brasil e a coisa ficou séria ( já era séria antes) . Comprei no Groupon um curso de ingles de preço amigo e to ralando para entrar no eixos com o meu ingles.

Para ajudar tá ficando frio e tá nevando! Tipo: muito trabalho, muita gente chata, muito frio e pouco dinheiro: #TENSO

Por sorte, o escritório vai fechar de 22 de dezembro e reabre em 04 de janeiro.

Então eu to mais empolgada para 22 de dezembro do que para o Natal!

Adoro o meu trabalho mas a carga de trabalho tá alta!

Entao tá, já justifiquei … to perdoada?

 

bjobjo

 

 

 

Chefe do mal….

Orgulho pode significar duas coisas, O tio wiki dá uma definição que, particularmente, gosto muito-

Orgulho é um sentimento de satisfação pela capacidade ou realização ou um sentimento elevado de dignidade pessoal. Em Português a palavra Orgulho pode ser vista tanto como uma atitude positiva como negativa dependendo das circunstâncias. Assim, o termo “pode” ser empregado de maneira errada tanto como sinônimo de soberba e arrogância quanto para indicar dignidade ou brio.

 

Estou sim muito orgulhosa da minha conquista mas ao mesmo tempo, muito ansiosa por que novos desafios se aproximam e a vontade de fazer, e fazer bem feito é muito grande.

Estou com dificuldade de ” me fazer entendida pelos outros”. A sogra acha que deveríamos fazer um jantar. O sogro já calculou o quanto eu vou receber neto. Todos pensam que eu sou a nossa “Vice-presidente” da Siemens!

Claro que estou feliz e que estou rodopiando de alegria mas os desafios que se aproximam deixam-me paralisada de medo, ansiosa, desencorajada.

Um destes desafios é ser a chefe da italiana que estava na luta pela vaga. Quando meu chefe falou isto, foi como se um tijolo caísse na minha cabeça. Injusto comigo, injusto com ela. Quando falei que era injusto, toda a minha família (alemã) disse que eu estava errada, que eu era a chefe por que era a melhor! Será que eu estou errada e eles certos? Sei não!

Acho injusto ser a chefe de uma pessoa que fez de um tudo para ter a vaga também. Sei que a vida não é só flores e que nem todos têm a mesma oportunidade. Mas ser a chefe dela, ai já é demais.

Pedi ao chefe para que não use a palavra chefe mas sim, supervisora ou ponto de ajuda.

Na segunda-feira ele nos chamou na salinha e disse “chefe” umas 1000 vezes.

Fiquei mal instantaneamente.Não quero ser a chefe dela. Quero trabalhar com ela, aproveitar o que ela tem de melhor.

Ela não é minha inimiga. Competimos pela mesma vaga, agora acabou mas tudo e todos me jogam contra ela e como eu previ, ela pediu demissão.

Chequei em casa e chorei, chorei, chorei. Ninguém entende a minha dor. Ela saiu por puro orgulho (orgulho ruim). Eu não movi um dedo mas os que estão ao meu entorno criaram uma situação de rivalidade, subjugação.

Ontem pedi ao chefe para falar pessoalmente com ela antes de ela assinar o desligamento da empresa. Quero deixar claro que eu QUERO trabalhar com ela e que estou disposta a dar as condições necessária para isto.

A menina trabalha bem, não há motivo para demissão. Se ela que sair por que a empresa já não é mais interessante para ela, tudo bem. Sinto que o real motivo é que ela realmente acredita que a vida dela será um inferno comigo e tal alucinação foi criada pelas pessoas do meu trabalho. Frases do tipo:

– Cindi, agora você tem que escolher uma mesa só sua. Os aushilfes não deverão usar a sua mesa,

– Cindi, agora você terá de organizar quando cada aushilfe virá para o trabalho.

– Cindi, você tem que controlar o desempenho de cada um e ver quem são os rápidos e os lentos.

Essas frases poderiam ser ditas mas não na frente dos “aushilfes” (ainda sou uma). Pressão desnecessária.

Eu quero falar com a italiana e com o resto também. Quero deixar claro que o chefe é um só: É o que paga os nossos salários! Eles apenas reportam para a minha pessoa para facilitar as coisas.

Todos pensam que eu estou errada. Minha família acha que ela é uma idiota que que tem que sair. Eu não acho que a atitude dela foi legal. Acho que ela poderia tentar e depois, decidir. Nao gosto de interferir na vida de alguém sem ter dito uma única palavra.

Não quero o crachá de chefe, nem a mesa de chefe, nem o “status”. Quero trabalhar!!

E ai meninas acham que os orgulhos estão alterados? Acham que estou errada? É normail essa loucura alemã pelo “crachá” de chefe?  Um luz por favor!!!

bjobjo da Cindi